sábado, 12 de outubro de 2013

Manifestação


(latim manifestatio, -onis)
substantivo feminino
1. Acto de manifestar ou de se manifestar.
2. Expressão, revelação.
3. Demonstração pública dos sentimentos ou ideias dos membros de um partido ou de uma colectividade.
4. Conjunto de pessoas reunidas publicamente para mostrar ou defender determinadas ideias ou posições.

Conhecidos os riscos invocados para impedir a manifestação na Ponte 25 de Abril, falta aconselhar à CGTP as medidas a tomar para que esta se possa realizar:

1) A imprevisibilidade do número de participantes -  Deverá ser cobrada portagem a todos os manifestantes. Para além do controlo de entradas, esta medida permite arrecadar uma verba não despicienda numa altura tão difícil para as contas públicas;

2) O perigo de lançamento de petardos e outros engenhos - Esta é fácil. É só fazer o mesmo tipo de controlo que a PSP utiliza nas provas desportivas, sejam elas maratonas ou jogos de futebol. Poderá eventualmente ser solicitada ajuda à polícia de Boston que já demonstrou a sua eficácia em situações semelhantes;

3) A impossibilidade de assegurar que não estarão presentes grupos infiltrados que podem causar o caos - Há historial de controlo bem sucedido deste tipo de elementos. Não consigo especificar as medidas utilizadas mas não deve ser difícil garantir que imagens como estas nunca mais se repetirão em Portugal;

4) O risco dos manifestantes caírem da ponte - A resposta é óbvia. Basta demonstrar ao governo as poupanças no serviço nacional de saúde, em pensões, reformas, salários e subsídios se, por sorte, alguém abandonar esta vida despesista,  falecendo com estrondo no leito do Tejo;

5) A dificuldade de realizar operações de socorro e evacuação num tabuleiro instável, sem pontos de fuga e enquanto decorre uma marcha lenta - Esta não percebo mas acho que tenho uma solução: Não troquem de tabuleiro. Usem o mesmo que serve os automobilistas nas horas de ponta ou nos dias de praia;

6) O corte de trânsito que pode prejudicar o transporte para os hospitais – Claro que isto só é um problema quando dezenas de milhares de pessoas decide fazer uma marcha lenta de cinco quilómetros. Obviamente o risco é muito menor quando dezenas de milhares de pessoas decide fazer corridas de dezenas de quilómetros para as quais não se prepararam convenientemente. O argumento orçamental usado em 4) também é aplicável;

7) O perigo de electrocussão caso os manifestantes invadam a linha do comboio – Por acaso até acho que indivíduos inundados em suor são melhores condutores eléctricos que os outros mas isso não sossega os peritos em segurança. Não desarmem, CGTP, basta assegurar que no controlo a realizar nas portagens - ver alínea 1) - se exija a exibição de um título de transporte do Metro, condição que garante que o manifestante está habituado a estar perante linhas de alta voltagem sem que isso lhe dê uma vontade irresistível de as abraçar.

Boa manifestação!

1 comentário:

  1. Dos riscos enumerados só não gostei da solução apontada no ponto1).

    ResponderEliminar